quinta-feira, 26 de agosto de 2010

As vezes ouço passar o vento

'As vezes ouço passar o vento;
e só de ouvir o vento passar,
vale a pena ter nascido.'
(Fernando Pessoa)

Aproveitando a viagem a trabalho, fiz um almoço para reencontrar a turma.
A opção foi pelo pastel de choclo, um prato da culinária chilena, que provei pela primeira vez no Galindo, em Santiago. Contei com a ajuda dos parceiros de sempre, a Joice e o Juliano.
Para quinze pessoas, começamos preparando a cobertura com dois quilos de grãos de milho que liquidificamos com um litro e meio de leite. Temperamos com uma colher de sal e duas colheres de açucar. Levamos ao fogo mexendo até a mistura engrossar e cozinhar bem, perdendo o gosto de milho cru.
Preparamos o recheio refogando um quilo de cebolas raladas e dois dentes de alho picados. Depois juntamos dois quilos de carne moida, e deixamos refogar até a carne ficar corada, mas ainda suculenta. Temperamos com sal, cominho, coentro e pimenta do reino em pó, tampamos a panela e deixamos até ficar cozida. Ao final, juntamos 200 gramas de azeitonas e 200 gramas de passas de uva escuras sem caroço e desligamos a panela.
Cozinhamos uma dúzia de ovos, que foram cortados em quartos.
Partimos em lascas grandes os peitos e as coxas de dois frangos assados, comprados prontos.
Montamos as travessas colocando primeiro as lascas de frango, depois o refogado de carne, os pedaços de ovo cozido e cobrindo com a mistura de milho.
Polvilhamos com açucar cristal e levamos ao forno para dourar a cobertura.


Para acompanhar, fizemos salada verde com vinagrete de manga e salada de alface roxa e americana com vinagrete de morango, pétalas de cebola e aceto balsâmico.

Para a sobremesa, com a ajuda inestimável da Joice, preparei uma torta de maracujá com chocolate branco. Fizemos três camadas. Para a primeira camada, trituramos um pacote de bolachas maria, juntamos um pacote de manteiga sem sal em temperatura ambiente, misturamos com um garfo e forramos o fundo da forma e as laterais. Levamos ao forno por quinze minutos, para secar.
Preparamos uma musse de maracujá, liquidificando tres latas de leite condensado, uma garrafa de suco de maracujá e tres caixas de creme de leite, até engrossar. Colocamos sobre a massa já assada e levamos à geladeira.
Para a última camada, aquecemos numa panela dois potes de creme de leite. Tiramos do fogo e juntei dois tabletes de chocolate branco partido em pedaços, mexendo até derreter o chccolate. Deixamos esfriar um pouco, batemos a mistura com um garfo para homogeneizar e juntamos um pacote de gelatina sem sabor dissolvida conforme as instruções da embalagem. Colocamos por cima da camada de maracujá.
Por último, cobrimos com a polpa e sementes de dois maracujás, misturadas com uma colher de açucar. A travessa voltou à geladeira, para firmar bem.

3 comentários:

  1. Lindo tudo, mas essa torta de maracujá!
    Amei!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. O pastel estava gostoso, mas a torta foi um arraso! E nem dá tanto trabalho, experimenta, Fla.

    ResponderExcluir

arquivo

blogroll