sexta-feira, 2 de julho de 2010

Casa das sete mulheres

"Mulher, ai, ai, mulher
Sempre mulher
Dê no que der"
(Vinicius de Moraes, Mulher sempre mulher)

Para o almoço rápido das sete amigas no meio da semana, de entrada, preparei uma sopa creme de abóbora. Ia fazer a sopa com gorgonzola, contudo com o dia surpreendentemente quente, achei que combinava melhor com gengibre.

Primeiro, cozinhei no vapor meia abóbora cabotiá, até ficar macia. Depois, refoguei em azeite de oliva uma cebola picada, juntei três colheres de gengibre descascado, cortado em tirinhas, depois a abóbora moranga já cozida e um litro e meio de água. Depois de breve fervura, desliguei o fogo, deixei esfriar um pouco e bati a sopa no liquidificador, retornando à panela para aquecer. Ficou muito perfumada e com sabor refrescante. A cor é linda, lembrando tarde-de-sol-na-praia.



Com a conversa correndo solta, esqueci de tirar uma foto do prato principal, que foi um peixe grelhado, acompanhado de purê de batatas com wasabi e pilaf de arroz integral.

Para a sobremesa, fiz panna cotta, em uma versão bem light, não usei só creme de leite, e sim fiz com duas partes de leite para uma de creme. A preparação é simples. Aqueci meio litro de leite com meia xícara de açúcar, juntei 250 gramas de nata fresca, deixei aquecer até borbulhar. Desliguei o fogo, perfumei com uma colher de extrato de baunilha e outra de água de flor de laranjeira. Deixei esfriar um pouco, preparei meio pacote de gelatina em sabor, conforme as instruções da embalagem, e misturei ao preparado. Coloquei em tacinhas individuais e levei à geladeira. Fiz de véspera. Servi sem desenformar, simplesmente cobrindo com geléia de morango com pimenta.


A comida foi bastante elogiada.

2 comentários:

  1. Hi hi Esses não deu, já foram... Mas faço de novo, especial para ti!

    ResponderExcluir

arquivo

blogroll